Notícias sobre o Projeto

Não pare de se exercitar: A importância do Exercício Físico antes, durante e depois da pandemia.

Se antes da pandemia deveríamos ter atenção quanto à prática do exercício físico, este assunto se tornou algo extremamente relevante no momento atual da pandemia da Covid-19.

Você já se perguntou o porquê houve um aumento considerável de número de farmácias na cidade? Este assunto é sério e deveríamos ver aumento dos espaços para a prática de atividade física que é um remédio natural, e não é este cenário que estamos vendo. Deveríamos pensar em saúde e não em doença.

Mas o que podemos fazer do micro para o macro para mudar isso? E a resposta é que podemos mudar o pensamento colocando como prioridade nossa saúde. Sim, alguns além da saúde pensam na estética, mas isso é assunto para outro momento.

Os benefícios são inúmeros quanto a prática regular de exercício físico e vamos citar apenas alguns:

  • Fortalece o sistema cardiovascular;
  • Melhora a memória;
  • Combate doenças crônicas;
  • Melhora a saúde mental;
  • Controle de peso corporal;
  • Reduz pressão arterial;
  • Ajuda a controlar a glicemia;
  • Fortalece ossos e articulações;
  • Aumenta a força e resistência muscular;
  • Diminui o estresse;
  • Combate a ansiedade e depressão;
  • Melhora a qualidade do sono;
  • Aumenta a disposição;
  • Melhora sistema imunológico.

Sim, você leu sistema imunológico, o sistema de defesa do nosso corpo capaz de reconhecer e eliminar uma série de micro-organismos invasores que foi tão citado na pandemia.

Que tal fortalecer seu organismo quanto a esta e outras possíveis doenças? E não é preciso se tornar um super-atleta, as pesquisam comprovam que reduzindo o comportamento sedentário, ou seja, o tempo que permanecemos sentados, deitados ou reclinados durante o dia já verificamos melhora.

É fato que a OMS (Organização Mundial da Saúde) sugeriu que atividades na intensidade moderada/vigorosa com duração de 180 a 300 minutos por semana para homens e na intensidade moderada/vigorosa com duração de 150 a 300 minutos por semana para mulheres seriam as mais adequadas para promover os benefícios para a saúde cardiovascular e metabólica. Sugiro que esta mudança de comportamento seja de forma gradativa e orientada por um profissional de educação física até que chegue nos níveis indicados pela OMS. Não adianta querer sobrecarregar seu corpo fazendo tudo que você não fez de atividade em um dia só. Controlar volume, intensidade e frequência dos exercícios é de fundamental importância, peça ajuda a um profissional de Educação Física.

Sugestão para continuidade de atividade com segurança:

  • Procurar um profissional de educação física para orientar os exercícios, após consultar seu médico para saber se está tudo bem;    
  • Prefira locais abertos e ou locais arejados e que estejam respeitando os protocolos municipais do Comitê Covid-19 evitando aglomerações;
  • Uso de máscara;    
  • Higienização das mãos;    
  • Distanciamento;    
  • Reduzir os comportamentos sedentários (gradativamente);
  • Reduzir o tempo sentado;
  • Procurar fazer a maior quantidade de interrupções/pausas no tempo sentado, ou seja, a cada hora sentado, ficar em pé por pelo menos 5 minutos;
  • Continuidade da prática de atividade física (individual ou coletiva) hoje em dia as academias e clubes oferecem diversas atividades, portanto escolha alguma que você goste e se organize para priorizar sua saúde.

Se com tudo isso você ainda não se animou, te conto que pesquisas apontam que pessoas fisicamente ativas tiveram maior recuperação pós Covid. Está todo mundo com medo da Covid, que tal se cuidar?

Por: Izabela Cristina Santos Souza

Profissional de Educação Física e Voluntária do Projeto Família Belém

CREF 009472-G/MG

Referências

https://acontecebotucatu.com.br/saude/hospitalizacao-por-covid-19-e-34-menor-entre-pessoas-fisicamente-ativas-aponta-estudo/

https://www.douradosnews.com.br/saude-e-bem-estar/a-importancia-da-atividade-fisica-no-combate-a-covid-19/1150983/

Você também pode gostar...